BM News

Primeira exportação do Ucsgraphene vai para o mercado europeu

mostras de grafeno foram fornecidas à Centro de Engenharia de Portugal

Sete meses após entrar em operação, o Ucsgraphene chega ao mercado internacional. A planta de produção, caracterização e aplicação de grafeno da Universidade de Caxias do Sul (UCS) efetuou, a primeira exportação do material, e o destino foi o mercado europeu. Amostras de grafeno foram fornecidas ao Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto (CEiiA), de Portugal, instituto que concebe, implementa e opera produtos e sistemas inovadores. A intermediação foi feita pela Zextec Consultoria Empresarial, empresa parceira do Ucsgraphene responsável pela comercialização do produto.

O CEiiA vai realizar ensaios com grafeno – material derivado do carbono, mais leve e resistente que existe, com diversas potencialidades em alta tecnologia – em componentes para as indústrias automotiva e aeronáutica.

De acordo com o coordenador do Ucsgraphene, Diego Piazza, os desenvolvimentos realizados pela instituição poderão gerar valor agregado para produtos de Caxias do Sul e região. “As perspectivas são de que UCS e CEiiA compartilhem a produção de conhecimento a partir do trabalho conjunto. Estamos trabalhando para que o grafeno possa auxiliar no desenvolvimento das matrizes produtivas local, regional e nacional”, ressalta.

O reitor da UCS, Evaldo Kuiava, disse que o Ucsgraphene representa a materialização de uma proposta que visa levar à sociedade, em forma de produtos e processos inovadores e o conhecimento produzido dentro da Universidade. Instalada no Parque de Ciência, Tecnologia e Inovação da Universidade de Caxias do Sul (TecnoUCS), é a primeira e maior planta de produção, caracterização e aplicação de grafeno em escala industrial da América Latina. Em operação desde 14 de março, tem capacidade de produção de 500 kg por ano, com possibilidade de ampliação para 5 mil kg por ano.

Reunindo a expertise de 15 anos de pesquisas da UCS em nanomateriais, seus desenvolvimentos abrangem as áreas de revestimentos avançados, materiais inteligentes, equipamentos de segurança, lubrificantes, nanotecnologia, metais, compósitos, polímeros e cerâmicas.

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Primeira exportação do Ucsgraphene vai para o mercado europeu

Sete meses após entrar em operação, o Ucsgraphene chega ao mercado internacional. A planta de produção, caracterização e aplicação de grafeno da Universidade de Caxias do Sul (UCS) efetuou, a primeira exportação do material, e o destino foi o mercado europeu. Amostras de grafeno foram fornecidas ao Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto (CEiiA), de Portugal, instituto que concebe, implementa e opera produtos e sistemas inovadores. A intermediação foi feita pela Zextec Consultoria Empresarial, empresa parceira do Ucsgraphene responsável pela comercialização do produto.

O CEiiA vai realizar ensaios com grafeno – material derivado do carbono, mais leve e resistente que existe, com diversas potencialidades em alta tecnologia – em componentes para as indústrias automotiva e aeronáutica.

De acordo com o coordenador do Ucsgraphene, Diego Piazza, os desenvolvimentos realizados pela instituição poderão gerar valor agregado para produtos de Caxias do Sul e região. “As perspectivas são de que UCS e CEiiA compartilhem a produção de conhecimento a partir do trabalho conjunto. Estamos trabalhando para que o grafeno possa auxiliar no desenvolvimento das matrizes produtivas local, regional e nacional”, ressalta.

O reitor da UCS, Evaldo Kuiava, disse que o Ucsgraphene representa a materialização de uma proposta que visa levar à sociedade, em forma de produtos e processos inovadores e o conhecimento produzido dentro da Universidade. Instalada no Parque de Ciência, Tecnologia e Inovação da Universidade de Caxias do Sul (TecnoUCS), é a primeira e maior planta de produção, caracterização e aplicação de grafeno em escala industrial da América Latina. Em operação desde 14 de março, tem capacidade de produção de 500 kg por ano, com possibilidade de ampliação para 5 mil kg por ano.

Reunindo a expertise de 15 anos de pesquisas da UCS em nanomateriais, seus desenvolvimentos abrangem as áreas de revestimentos avançados, materiais inteligentes, equipamentos de segurança, lubrificantes, nanotecnologia, metais, compósitos, polímeros e cerâmicas.

Fale com a redação!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )