BM News

Qual a seleção de craques que você quer para sua empresa?

A Thomas International Brasil apoia líderes e gestores na escolha dos profissionais com as melhores habilidades

Estamos prestes a assistir um dos maiores eventos esportivos do planeta: a Copa do Mundo. Até mesmo para aqueles que não são fãs do esporte, é difícil não se envolver, afinal todos os olhos estarão voltados para os times de alta performance que vão entrar em campo no Qatar.

Fazendo um paralelo entre a Copa e o mundo corporativo, a Thomas International Brasil lança uma campanha mostrando como é possível que os líderes escolham ou desenvolvam seus colaboradores (jogadores) para exercer da melhor forma possível as atividades deles, de forma a contribuir com os objetivos de negócios da empresa.

Hoje, fala-se muito da importância das habilidades comportamentais como impulsionadoras da carreira profissional e como as soft skills têm o poder de transformar um ambiente de trabalho e apoiar o alcance dos resultados do trabalho de equipe.

“Reconhecendo que muitas das características de um jogador de seleção são comuns aos profissionais dentro das empresas, e no fim são as habilidades que ajudam a definir seu sucesso ou derrota em campo, decidimos destacar como o uso de ferramentas de análise comportamentais influenciam na ‘escalação’ do melhor time empresarial”, explica Marcelo Souza, country manager da Thomas International, líder global no desenvolvimento de ferramentas de avaliações comportamentais.

A partir do uso da ferramenta DISC (Dominância, Influência, eStabilidade e Conformidade), é possível atrelar os comportamentos observáveis às diferentes posições dos jogadores em campo. O DISC ajuda os líderes a entender estilo de comunicação, motivações, forças e fraquezas dos profissionais de seus times.

Já sabemos que quanto mais diversa for a equipe mais forte ela será, por isso é preciso saber conectar pessoas que tenham skills diferentes, porém complementares, para que cada um possa liberar o seu potencial da melhor forma. E a figura do líder – o técnico do time – tem uma função primordial de entender quais pessoas devem convocar e como colocá-las em campo.

Confira a seguir quais as características necessárias para cada posição em campo, tanto no esporte como nas empresas.

Dominância – Característica predominante no Atacante. Esse jogador/profissional desempenha a função ofensiva, com o objetivo de fazer gols ou dar assistência aos seus companheiros. Normalmente espera-se que seja alguém assertivo, competitivo, objetivo e que saiba aproveitar as oportunidades, com muita iniciativa para seus ataques impulsivos contra o time adversário. É muito objetivo e seu foco é no resultado, o gol!

Se compararmos essas características com a metodologia DISC, deveremos chegar em um perfil mais objetivo, direto e orientado a resultados, o de uma pessoa que está pronta para assumir o controle e esbanjar autonomia. Estamos falando então de um perfil com alto D, ou seja, que tem alta Dominância.

Influência – Jogadores do meio de campo. São importantes, pois têm a responsabilidade de ligar a defesa ao ataque e evitar golpes de adversários. Geralmente, espera-se que seja alguém com uma postura ativa e otimista, além de comunicativo e influente. Geralmente eles vestem a camisa 10 do time. Usando cérebro e confiança, esse jogador dá início às ações ofensivas e é capaz de atacar e defender, demonstrando muita competência. É um perfil mais otimista e influente, que utiliza seu poder de persuasão para tornar a situação mais amigável, evitando a rejeição. Estamos falando então de um perfil com alto I, ou seja, que tem alta Influência.

Estabilidade – Zagueiro, esse é o jogador responsável por atuar próximo ao goleiro no sistema defensivo das equipes. Sua principal função é marcar os atacantes, evitando que estes criem possibilidades de gol. Se compararmos essas características com a metodologia DISC, teremos um perfil especialista, tático, orientado a rotinas, que é motivado pela segurança e conclui tarefas de forma meticulosa.

Conformidade – Goleiro é quem tem a responsabilidade de, se mais ninguém conseguir, impedir o adversário de marcar e, assim, impulsionar a vitória, garantindo que não tomaremos nenhum gol! Aqui, o perfil é de alguém mais técnico, preciso, orientado a tarefas, que não age por impulso e que procure sempre saber mais sobre as regras.

Capitão é um membro do time, escolhido para ser seu líder. É o jogador responsável por dirigir a equipe em campo e conversar com o árbitro sobre as regras do jogo. Espera-se que seja alguém comunicativo, motivador, convincente, ponderado na tomada de decisão e com o poder de aflorar o espírito de equipe nos companheiros. Além disso, deve entender e seguir as regras e incentivar que os outros jogadores façam o mesmo. Na comparação com a metodologia DISC, deveremos chegar em um perfil autoconfiante, comunicativo, com espírito de liderança, orientado a regras e procedimentos, que tem uma grande habilidade de persuasão e resolução de conflitos e consegue manter a calma em um ambiente hostil. Estamos falando então de um perfil que tem um pouco de cada característica.

Já o Técnico é o profissional que dirige as atividades da equipe e é responsável pela preparação dos jogadores. Geralmente é alguém objetivo, motivador e orientado a resultados. Também é muito competitivo, lógico e perfeccionista, e utiliza essas habilidades para delinear as táticas e estratégias de jogo. Fazendo um paralelo com a metodologia DISC, deveremos chegar em um perfil mais lógico e competitivo, focado tanto nos resultados quanto nas regras, com uma postura ativa e positiva frente a um ambiente hostil, sempre mantendo a cautela. Este é um perfil com alto C e D, ou seja, que tem alta Conformidade e Dominância.

Mais de 11 mil empresas utilizam as ferramentas da Thomas International para crescer e se posicionar em seus mercados de atuação. Se você quer saber como é possível montar a “seleção” dos sonhos, nossos especialistas podem ajudar.

Sobre a Thomas International Brasil

 A Thomas International está há mais de 35 anos capacitando líderes de negócios para transformar o desempenho de seus funcionários, equipes e culturas por meio de análises, percepções e ações. Está presente em mais de 60 países mudando a realidade dos negócios, no esporte e na educação por meio da inovação nas avaliações de competências. Temos cerca de 10 avaliações, entre elas PPA (Análise de Perfil Pessoal), HPTI (Indicadores de Alto Potencial), GIA (Avaliação de Inteligência Geral) e TEIQue (Avaliação de Inteligência Emocional). A Thomas conta ainda com uma equipe de especialistas para capacitar e treinar profissionais de RH na aplicação das avaliações, para que as empresas alcancem resultados imediatos nos negócios. Para mais informações sobre estas e outras ferramentas, acesse: https://www.thomas.co/pt-br.

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Qual a seleção de craques que você quer para sua empresa?

Estamos prestes a assistir um dos maiores eventos esportivos do planeta: a Copa do Mundo. Até mesmo para aqueles que não são fãs do esporte, é difícil não se envolver, afinal todos os olhos estarão voltados para os times de alta performance que vão entrar em campo no Qatar.

Fazendo um paralelo entre a Copa e o mundo corporativo, a Thomas International Brasil lança uma campanha mostrando como é possível que os líderes escolham ou desenvolvam seus colaboradores (jogadores) para exercer da melhor forma possível as atividades deles, de forma a contribuir com os objetivos de negócios da empresa.

Hoje, fala-se muito da importância das habilidades comportamentais como impulsionadoras da carreira profissional e como as soft skills têm o poder de transformar um ambiente de trabalho e apoiar o alcance dos resultados do trabalho de equipe.

“Reconhecendo que muitas das características de um jogador de seleção são comuns aos profissionais dentro das empresas, e no fim são as habilidades que ajudam a definir seu sucesso ou derrota em campo, decidimos destacar como o uso de ferramentas de análise comportamentais influenciam na ‘escalação’ do melhor time empresarial”, explica Marcelo Souza, country manager da Thomas International, líder global no desenvolvimento de ferramentas de avaliações comportamentais.

A partir do uso da ferramenta DISC (Dominância, Influência, eStabilidade e Conformidade), é possível atrelar os comportamentos observáveis às diferentes posições dos jogadores em campo. O DISC ajuda os líderes a entender estilo de comunicação, motivações, forças e fraquezas dos profissionais de seus times.

Já sabemos que quanto mais diversa for a equipe mais forte ela será, por isso é preciso saber conectar pessoas que tenham skills diferentes, porém complementares, para que cada um possa liberar o seu potencial da melhor forma. E a figura do líder – o técnico do time – tem uma função primordial de entender quais pessoas devem convocar e como colocá-las em campo.

Confira a seguir quais as características necessárias para cada posição em campo, tanto no esporte como nas empresas.

Dominância – Característica predominante no Atacante. Esse jogador/profissional desempenha a função ofensiva, com o objetivo de fazer gols ou dar assistência aos seus companheiros. Normalmente espera-se que seja alguém assertivo, competitivo, objetivo e que saiba aproveitar as oportunidades, com muita iniciativa para seus ataques impulsivos contra o time adversário. É muito objetivo e seu foco é no resultado, o gol!

Se compararmos essas características com a metodologia DISC, deveremos chegar em um perfil mais objetivo, direto e orientado a resultados, o de uma pessoa que está pronta para assumir o controle e esbanjar autonomia. Estamos falando então de um perfil com alto D, ou seja, que tem alta Dominância.

Influência – Jogadores do meio de campo. São importantes, pois têm a responsabilidade de ligar a defesa ao ataque e evitar golpes de adversários. Geralmente, espera-se que seja alguém com uma postura ativa e otimista, além de comunicativo e influente. Geralmente eles vestem a camisa 10 do time. Usando cérebro e confiança, esse jogador dá início às ações ofensivas e é capaz de atacar e defender, demonstrando muita competência. É um perfil mais otimista e influente, que utiliza seu poder de persuasão para tornar a situação mais amigável, evitando a rejeição. Estamos falando então de um perfil com alto I, ou seja, que tem alta Influência.

Estabilidade – Zagueiro, esse é o jogador responsável por atuar próximo ao goleiro no sistema defensivo das equipes. Sua principal função é marcar os atacantes, evitando que estes criem possibilidades de gol. Se compararmos essas características com a metodologia DISC, teremos um perfil especialista, tático, orientado a rotinas, que é motivado pela segurança e conclui tarefas de forma meticulosa.

Conformidade – Goleiro é quem tem a responsabilidade de, se mais ninguém conseguir, impedir o adversário de marcar e, assim, impulsionar a vitória, garantindo que não tomaremos nenhum gol! Aqui, o perfil é de alguém mais técnico, preciso, orientado a tarefas, que não age por impulso e que procure sempre saber mais sobre as regras.

Capitão é um membro do time, escolhido para ser seu líder. É o jogador responsável por dirigir a equipe em campo e conversar com o árbitro sobre as regras do jogo. Espera-se que seja alguém comunicativo, motivador, convincente, ponderado na tomada de decisão e com o poder de aflorar o espírito de equipe nos companheiros. Além disso, deve entender e seguir as regras e incentivar que os outros jogadores façam o mesmo. Na comparação com a metodologia DISC, deveremos chegar em um perfil autoconfiante, comunicativo, com espírito de liderança, orientado a regras e procedimentos, que tem uma grande habilidade de persuasão e resolução de conflitos e consegue manter a calma em um ambiente hostil. Estamos falando então de um perfil que tem um pouco de cada característica.

Já o Técnico é o profissional que dirige as atividades da equipe e é responsável pela preparação dos jogadores. Geralmente é alguém objetivo, motivador e orientado a resultados. Também é muito competitivo, lógico e perfeccionista, e utiliza essas habilidades para delinear as táticas e estratégias de jogo. Fazendo um paralelo com a metodologia DISC, deveremos chegar em um perfil mais lógico e competitivo, focado tanto nos resultados quanto nas regras, com uma postura ativa e positiva frente a um ambiente hostil, sempre mantendo a cautela. Este é um perfil com alto C e D, ou seja, que tem alta Conformidade e Dominância.

Mais de 11 mil empresas utilizam as ferramentas da Thomas International para crescer e se posicionar em seus mercados de atuação. Se você quer saber como é possível montar a “seleção” dos sonhos, nossos especialistas podem ajudar.

Sobre a Thomas International Brasil

 A Thomas International está há mais de 35 anos capacitando líderes de negócios para transformar o desempenho de seus funcionários, equipes e culturas por meio de análises, percepções e ações. Está presente em mais de 60 países mudando a realidade dos negócios, no esporte e na educação por meio da inovação nas avaliações de competências. Temos cerca de 10 avaliações, entre elas PPA (Análise de Perfil Pessoal), HPTI (Indicadores de Alto Potencial), GIA (Avaliação de Inteligência Geral) e TEIQue (Avaliação de Inteligência Emocional). A Thomas conta ainda com uma equipe de especialistas para capacitar e treinar profissionais de RH na aplicação das avaliações, para que as empresas alcancem resultados imediatos nos negócios. Para mais informações sobre estas e outras ferramentas, acesse: https://www.thomas.co/pt-br.

Veja também

sample52
Bruno Mezzomo
Bruno Mezzomo

38% das mortes em rodovias federais foram provocadas por falta de atenção e excesso de velocidade

sample52
Bruno Mezzomo
Bruno Mezzomo

CAMINHOS DA APOSENTADORIA NO BRASIL

sample52
Bruno Mezzomo
Bruno Mezzomo

Nem todo passeio pode fazer bem para o pet

sample52
Bruno Mezzomo
Bruno Mezzomo

Abismo Anhumas, um cenário premiado

Publicidade

Fale com a redação!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )